quarta-feira, 31 de março de 2010

Encontro com o Passado


OUTRO DIA ENTREI EM meu antigo quarto a fim de preencher um imenso vazio. Ele parece um depósito de lembranças adormecidas que se misturam entre cadernos, imagens e demais objetos até então temporariamente perdidos e esquecidos. A poeira, como um agente do tempo, coloca rugas e enferma meus objetos do passado me avisando que um dia tudo aquilo não me fará mais sentido. E se eu esquecesse tudo o que vivi? Um homem viveria o futuro sem o passado? Eu vi cartas e desenhos. Contos e problemas. Coleções absurdas e lembranças de alguns momentos. Um papel dobrado com anotações e uma lista sem sentido. Nomes que não conheço e comerciais obsoletos. Acessórios de um tempo diferente e obsessões hoje sem importância. Encontro escritos datados e planos extraordinários de coisas que nunca cheguei a concluir. Vestes sem uso. Um modelo do que eu deveria me tornar.

EM MEIO A TODO ESTE depósito de lembranças eu vasculho e seleciono o que ainda faz sentido e descarto estratagemas que não mais levarei em diante. E mergulhado nesta piscina melancólica eu traduzo obras que há tempos ninguém lia. Sou eu lendo para mim mesmo um livro que só hoje consigo entender. Meu passado me mostra o caminho a seguir e não me faz esquecer como devo me portar. E por detrás de um pano eu vejo algo em movimento. Foco melhor e reconheço um espelho com o meu reflexo. De tanto vasculhar o meu passado reconheço que o que eu estava tentando encontrar era a mim mesmo. E no plano inverso, no lado oposto a este tempo, um ser ingênuo faz projeções confusas buscando descobrir o que acontecerá consigo quando avançar anos no relógio. Seu quarto, no entanto, ainda não tem poeira alguma.

7 comentários:

BAh disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
BAh disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
BAh disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
COLETÂNEA disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Clarissa Santos disse...

Que lindo x) Acho que todos temos quartos empoeirados, dentro de nós mesmos :}

Muito bom! \o

Jaquelyne A. Costa disse...

Oi, Gepp!
Quanto tempo...
e ainda assim não tem poeira alguma no meu coração...

Me dá um oi lá no JaqueSou!

Beijos

Polly . disse...

Olááá! Td bem?
Olha só, esse eh o end novo do meu Blog:

http://sensatione.blogspot.com

entra lá:)

=* Polly