sábado, 6 de setembro de 2008

Realidades paralelas

Bons filmes são aquele em que você olha constantemente a sua duração e torce para que não acabe logo. Havia certo tempo que não me ocorria isso, até assistir Efeito Borboleta (The Butterfly Effect, 2004). Sim, eu já sabia que era um excelente filme, mas não sei por que nunca havia assistido... O roteiro gira em torno daquela vontade que todos temos de voltar no tempo e consertar alguma coisa que deu errado, alterando a nossa atual realidade. Simplesmente fantástico.

Outro filme interessantíssimo que fala acerca de realidades paralelas é Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004), um verdadeiro clássico moderno aonde Jim Carrey vai a uma clínica a fim de apagar algumas lembranças que o atormentavam, mas acaba se arrependendo do que havia feito Abre los ojos (1997), produção européia que originou a cópia Vanilla Sky (2001), também gira em torno da “modelagem” de lembranças. Neste filme, contudo, a criação da realidade falha e o nosso anti-herói se vê em um pesadelo, aonde deveria existir apenas um sonho. Não devemos nos esquecer do elogiado Amnésia (Memento, 2000), cujo protagonista tem um problema em sua memória recente e tenta investigar o assassinato de sua mulher, reconstruindo passo a passo os fragmentos de suas desconcertantes lembranças.

Falando em volta no tempo e mudança de personalidade eu me lembrei da música “O Velho e o Moço”, de Los Hermanos, que tem uma letra impecável. Vou transcrevê-la aqui (clique no play para ouvir a música e acompanhar a letra):

Deixo tudo assim, não me importo em ver a idade em mim / Ouço o que convém / Eu gosto é do gasto / Sei do incômodo e ela tem razão quando vem dizer que eu preciso sim / De todo o cuidado // E se eu fosse o primeiro a voltar pra mudar o que eu fiz / Quem então agora eu seria? // Ahh tanto faz! E o que não foi não é / Eu sei que ainda vou voltar... / Mas, eu quem será? // Deixo tudo assim, não me acanho em ver vaidade em mim / Eu digo o que condiz / Eu gosto é do estrago / Sei do escândalo e eles têm razão quando vem dizer que eu não sei medir nem tempo e nem medo // E se eu for o primeiro a prever e poder desistir do que for dar errado? // Ahhh, ora, se não sou eu quem mais vai decidir o que é bom pra mim? / Dispenso a previsão / Ahhh, se o que eu sou é também o que eu escolhi ser, aceito a condição // Vou levando assim / Que o acaso é amigo do meu coração / Quando falo comigo, quando eu sei ouvir... (letra de Rodrigo Amarante)

15 comentários:

Jaquelyne disse...

Gepp, eu ADORO Efeito Borboleta!!!
Eu já o vi umas 4 vezes!!!
Ele é sensacional!
Quero ver o 2!
Gepp, saudades de vc!!
Um grande beijo!!
Aparece lá no Jaque Sou!!
=**

Polly . disse...

nossa eu tava loca pra ver
ai ontem do nda colokei na globo e tava passando
amei
eh bom pra refletir
;***

BAh disse...

Que vergonha.Não assisti a nenhum dos filmes que você comenta. Eu acabo por me enrolar tanto que nunca vou a uma locadora... heauaeuhaeu

Jsk disse...

-
olá =D meu nome é Jéssica e o seu ?
muito legal seu blog, muito mesmo!
esse coisa de passado mexe mt com agente néh? mas temos qe ve-lo como um aprendizado e procurar cuidar do presente sem se iludir mt com o futuro. bjs :* voltarei aqi .

GIUSEPPE MENEZES disse...

JAQUE: Eu gostei muito de Efeito Borboleta. Já assisti 2 vezes. Gostei tanto que vou evitar ver o segundo, que dizem que é muito ruim. Prefiro ficar com a satisfação que fiquei ao assistir o primeiro....

POLLY: Pois é, Polly, Foi uma grande coincidência. Eu havia assistido na quinta-feira, e publiquei esse post no mesmo sábado que passou na Globo. Também coloquei lá por coincidência, e vi até o final - de novo =D

BAH: Nooossa! Sério?! Pois não perca tempo, Barbara. Garanto-te que vale mesmo a pena cada um deles. São daquelas locações que nos orgulhamos de fazer. E depois me diga se gostou, ok?

JÉSSICA: Que bela surpresa a sua visita! Sinta-se sempre bem vinda a este singelo blog, viu? Quanto ao passado, acredito que ele deve sempre ser considerado antes de darmos qualquer passo para o futuro – que na verdade é o que realmente importa. =)

Mayara disse...

Tem o segundo Efeito Borboleta? Eu só conheço o primeiro... hahaha
Assisti uma vez... não lembro muito bem... mas tenho certeza que assisti.
Ah... voltar no tempo! Quem nunca sonhou com isso? :/

Beijos!

Jsk disse...

assino em baixo. bjs :*

GIUSEPPE MENEZES disse...

E há uma teoria complicada onde isso é possível, não é, Mayara?! Sei não... Hehehe
Jéssica, estou indo lá visitar o seu blog =D

Ana disse...

Sempre ouvi falar bem de "Efeito Borboleta", mas nunca assisti por desleixo.
Tenho que visitar a locadora mais próxima... [Eh, prefiro continuar como a 10 anos atrás. =D]

Muito legal (como sempre) seu blog, Gepp!
Iupe!
:*

Jsk disse...

-
eu também sempre achei os anos 60 mágico, mas tudo tem seus dois lado néh?
Os anos da ditadura foram anos horriveis, por isso, é melhor agente revevir o lado bom desses anos e viver o bom do nosso tempo. bjs:*

Jsk disse...

AH² e sobre o bullying... é eu também sofri muito com isso, por ser alta e magra. Mas hoje em dia não mt, eu não ligo mais. E como você tenho orgulho do que sou. bjs:*

Mayara disse...

Ah sim, eu já li bastante a respeito... teoria da relatividade e mas um monte de coisas... olha, sinceramente eu não acredito que seja possível, mas se um dia for eu serei a primeira voluntária! Hahaha :D

Beijão!

Jsk disse...

:)) eu queria por a música também, mas não achei =(
att aqui! bjs :*

Jéssica disse...

-
existe sim, mas não em minha cidade... por enquanto vou fazer história, pra juntar dinheiro pra fazer a de simbologia :)
bjs :*

Jaquelyne disse...

Gepp!!
Adorei a música e procurei baixar pra mim!!
Agora, toda vez que a escuto, eu lembro de você!!
=*